Camisetas: eu sou o que visto

Postado em 29 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

Faz tempo que compro camisetas pela internet. Seja no Camiseteria, RedBug, Sambaclub, Macashirts, LinuxMall e algum outro que tenha esquecido, não consigo resistir a uma estampa espirituosa, bonita, bem feita.

A profusão de modelos e desenhos assusta quem tem vontade de "possuir tudo" como é o meu caso e olha que nem estou falando das gringas tipo a Threadless, porque aí o universo aumenta ainda mais.

Compro-as quase por impulso: olho, gosto, faço o pedido. Mas nunca antes tinha parado para pensar no quanto nossas camisetas falam sobre nós. Sim, prepare-se leitor, lá vem filosofia de botequim.

Como adoro fotografia, as que contém imagens bonitas e bem impressas chamam logo a minha atenção,. Sejam reproduções e homenagens a pintores famosos até uma simples "escala de cinza" numa foto de estrela de Hollywood.

Também gosto de humor espirituoso, então qualquer uma que use do sarcasmo e da inteligência para ser "engraçada" também me ganha na hora. Tipo a minha "Vegetariano não praticante" ou "I´m not anti-social, i´m just not user friendly".

Nessa linha ainda tenho uma que adoro, a "Forum ANTI-Social Mundial" ou mesmo uma singela representação de uma pilastra de viaduto com a inscrição "Só Jesus expulsa os demônios das pessoas".

Se for contar todas, passo o dia aqui. Mas acho curioso que isso mude de pessoa pra pessoa, ainda que a moda tente padronizar nossos gostos. Tudo bem, "todo mundo gosta de camisetas engraçadinhas", mas o que é engraçado para um nem sempre é pra todo mundo, o que é ótimo.

Tem quem prefira as com imagens fofinhas e que passam a impressão de terem cheiro de chiclete. Tem as grosseiras demais, que só falam palavrões e mostram simplesmente a mão de alguém dando dedo, as ufanistas e, claro, as famigeradas camisetas com Che Guevara, que revelam muito mais sobre quem as usa do que o próprio usuário gostaria que os outros soubessem.

Lembrando das camisetas do Che, comprei uma com um macaco usando a indefectível boina revolucionária e a inscrição "Viva la Evolución!". Sei que a imagem e a frase podem ter vários significados, mas a minha intenção é dizer basicamente: MOVE ON!

Achei-a menos agressiva do que uma que é vendida numas das lojas patrocinadas pelos republicanos nos EUA, e que coloca uma caveira usando a mesma boina e a frase "Che is dead! Get over it!".

Agora, o que eu realmente não respeito é quem usa abadá de bloco baiano ou micareta como camiseta. Primeiro porque abadá não é roupa, é ingresso, e depois porque mau gosto musical se esconde ao invés de se divulgar.

Outra coisa que também é garantia de aumento das chances do cara passar a noite liso, sem "pegar" ninguém é sair pra night (balada, noitada, etc, etc,) usando camisa de time de futebol.

Sério, você pode achar que está arrebentando e "zuando" os rivais, mas só está dando uma de sem noção pensando que noitada é estádio, sem contar que aquele tecido fede depois que você sua 10 minutos nele e, dependendo da sua forma física, você acabará parecendo com o Kaká depois de um rodízio de pizzas.

Camisetas de bandas de rock são maneiras, eu mesmo tenho uma do Kiss em formado de bonecos de Playmobil e outras do My Bloody Valentine, Nightwish (aff), The Smiths e do Elvis, mas tipo, que tal não ir pra praia vestindo algo preto (e quente) ou pro casamento do primo usando uma estampa do Eddie do Iron Maiden? Bom senso também ajuda.

O bottomline disso tudo é: a camiseta que você usa pode dizer muito sobre você, só tome cuidado: pode ser que você não ache muito legal o que ela diga.

8 Comentários:

Retina postou 29 de dezembro de 2009 07:26

É verdade, sua vestimenta diz muito sobre vc. Eu tenho uma camiseta linda da Rock Lilly toda bordada com um dizer enorme "SAO PAULO", so pra ocasioes especiais. Claro. Dá pra desdobrar: o celular também fala muito sobre você, principalmente os ringtones!

rafa postou 29 de dezembro de 2009 08:24

As roupas realmente dizem muito sobre nos. Adoro usar camisetas irreverentes, principalmente em festas, pois chamam a atenção - coisa que adoro - fazendo com que eu conheça até novas pessoas. As roupas influenciam a vida em todos os aspectos. Viva a moda!

Isabel postou 29 de dezembro de 2009 08:31

Talvez por isso eu não use camisa com frases: não gosto que minhas camisas falem de mim, rss. É claro que toda roupa fala sobre a pessoa, mas algumas são mais explícitas... E, realmente, essas estampas do Che Guevara já cansaram!
Beijos.

Anônimo postou 29 de dezembro de 2009 08:54

Inevitavelmente, diga-me o que vestes e te direi quem és... Se bem que sempre existe a possibilidade de má interpretação. rsrsrs Maravilhas da comunicação!
Eu já gosto de irreverência, e isso faz parte de mim, mas não é tudo!
Confesso que uma das camisetas que tenho e que mais gosto é justamente com a marca da intel e os dizeres "hell inside".
E realmente o povo das camisetas do Che tá mesmo precisando um "get over it!", o coitado deve se virar no túmulo, e se contorcer com Marx quando começam com essas coisas de propaganda...
Um dia podemos trocar ficurinha sobre camisetas! Aqui em Bsb tem um povo chegado em fazer essas coisas...
beijoooo

Albérico postou 29 de dezembro de 2009 14:44

Tenho uma camiseta com a seguinte frase "LEGENDA PARA QUEM NÃO OUVE, MAS SE EMOCIONA", sobre um projeto criado em Recife para que sejam LEGENDADOS (para os deficientes auditivos principalmente) os filmes nacionais .
Muitas pessoas pensam que eu sou SURDO , por defender essa causa ! Abs !

Julio Cesar postou 29 de dezembro de 2009 17:26

Cara, amei o link de onde comprar camisetas fodas... Mas queria mais alguns... voce me dá? Algum link, claro? rs Abs

mvsmotta postou 29 de dezembro de 2009 18:48

Julio,

Também gosto muito das camisetas desta loja:

http://www.elcabriton.com.br/loja/

Abraços!

Marina Almeida postou 30 de dezembro de 2009 08:57

ahuahauhauhauah
Adorei a parte que diz sobre as camisetas de abadá!
Deviam ser usadas como pano de chão, na minha opinião!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo